domingo, 20 de setembro de 2009

No centenário da Escola Estadual Coronel Paiva, homenagem a Dona Guily Lemos Jardim...

A Escola Estadual Coronel Paiva completa cem anos. Nasceu como Grupo Escolar, o que representou grande avanço, então, sobre as chamadas escolas isoladas, a maioria com uma professora apenas para classe integrada por alunos de graus diversos de aprendizado.

Respondeu ao princípio republicano de universalização do ensino gratuito de qualidade. O edifício imponente foi construído ao lado de um casarão, muita vezes sede do governo mineiro, símbolo do poder civil. Também perto de outra grande instituição, até hoje, a Igreja Católica.

Cinco anos depois,em 1914, nascia, em Ouro Fino, Dona Guily Lemos Jardim, de família originária do Rio de Janeiro, formada por pessoas que prezavam a educação e o papel do professor para implementação de avanços que fizessem o Brasil superar uma organização social e econômica ultrapassada, a do Brasil Império.
A Fanfarra da Escola Estadual Coronel Paiva passou a partir deste sábado, 19 de setembro, a levar o nome de Dona Guily Lemos Jardim, ex-professora de Educação Física. Esta foi uma das homenagens previstas no programa de comemoração do centenário da escola., onde meus pais,meus tios, muitos dos meus primos e, inclusive eu, estudamos. As fotos acima registram a composição da mesa, no início da cerimônia, e o momento da execução do Hino Nacional.
Na foto acima, Dona Guily, como sempre impecavelmente vestida, e a sobrinha Inah Falheiros que mora em Santo André.
Três ex-alunos que integraram a Fanfarra do Coronel Paiva participaram da homenagem a Dona Guily. Na foto acima, Flávio Marcos Almeida Louro, meu grande amigo de adolescência e juventude.

Dona Guily com Flavinho, Flávio Bolognani (Fafá) e Fernando Baratella.
A fanfarra, já batizada com o nome de Dona Guily, fez uma belíssima apresentação aos presentes.
Um detalhe especial chamou a atenção: todos estavam de óculos escuros, uma inovação dos desfiles de 07 de setembro deste ano, nas cidades mineiras.
A fanfarra é composta de garotas e garotas de várias idades, o que lhe dá um charme especial.
Grupo de meninas também fizeram com grande graça e elegância, bonita apresentação de ginástica ritmica.

4 comentários:

  1. Adorei!
    A residência a que você se refere "próxima à escola" foi de Julio Bueno Brandão. Julio Bueno Brandão foi Presidente do Estado de Minas Gerais e a proximidade se deve ao fato dele ter doado o terreno para a construção do Cel.Paiva, que foi construído no local onde havia a residência dos pais de Julio Bueno Brandão.
    Vou voltar ao blog porque devo fazer ainda um comentário sobre outro tópico. Já volto...

    ResponderExcluir
  2. Meu avô Constante Ferreia Jardim nasceu no Estado do Rio de Janeiro, na cidade de Indaiassu, hoje Casemiro de Abreu. Mas a família de minha avó é de Ouro Fino. São os Sanches de Lemos que tem ligação sanguinea muito estreita com os Bueno Brandões. Minha avó era filha de Sabino Sanches de Lemos e Guilhermina dos Reis Brandão. Daí o nome de tia Guily: Guilhermina.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a apresentação da fanfarra e da ginástica rítmica. Tia Guily ensinou e apresentou todos os tipos destas ginásticas hoje, olímpicas. Foi realmente uma homenagem muito especial feita a ela.
    Além disso ter tudo publicado no seu blog: é a Glória! (trocadilho proposital em razão de sua prima Glória)

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito,
    faltou a participação da minha esposa Martinha que fez parte dessa fanfarra como baliza e está na foto tirada dois anos antes do Fafá Bolognani aparecer. Foi uma ótima homenagem, merecida e daí faz a gente lembrar de um tempo que foi bom e perdemos - perderam e está perdido um pouco nos dias de hoje.

    ResponderExcluir