quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Menino da Porteira virou filme e...

Se é bom, se é ruim nem fiquei sabendo. Não encontrei em Ouro Fino ninguém que o tenha assistido. Só sei que o não houve filmagens na cidade. Parece que a produção pediu contribuição financeira para que isso acontecesse. E a contribuição, patrocínio sei lá, não apareceu. Como sabem, nós mineiros somos ciosos do nosso $$$. Pra falar verdade, pão-duros mesmos!

Brincadeiras à parte, o fato de os recursos não terem sido captados na cidade, não deveria ter sido motivo para que a paisagem local ficasse ausente. Falta de sensibilidade da produção, que pode ser entendido até como pressão além da medida para que os $$$ aparecessem, principalmente da Prefeitura.

De qualquer forma, o cartaz do filme está lá na entrada do Hotel Fazenda Menino da Porteira. Ouro Fino, nos meus tempos de criança e adolescente havia um cinema muito frequentado, na Rua 13 de Maio. Era nos poucos metros entre o cinema, hoje uma Igreja Evangélica, e a Sorveteria do Ádios que as paixões começavam, progrediam ou se acabavam. Recentemente, uma sala de projeção funcionou, por uns tempos no Teatro Municipal. Mas a iniciativa não teve sucesso por falta de público.

Acima, Bolachita desperta paixões num moreno lindo, integrante da família Butti, proprietária do Hotel Fazenda.
Depois de passear muito pelos jardins do Hotel, Bolachita encontrou um lugar de vista privilegiada para a admirar todas as possibilidades do restaurante.
E viu que além do almoço super gostoso, aberto também a não hóspedes, pode-se ali comprar vários produtos muito bons como o café produzido e processado na região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário